O que é um fundo de investimento e como funciona?

Navegue pelo Conteúdo

Saber como funciona um fundo de investimento é um passo importante para quem deseja investir nessa modalidade. Afinal, é possível encontrar diferentes tipos de fundo no mercado e cada um deles conta com características próprias e objetivos específicos.

Ao conhecer esses veículos, você poderá incluir em sua carteira de investimentos a modalidade mais adequada ao seu perfil de investidor e objetivos financeiros. Inclusive, também há a possibilidade de escolher mais de um fundo e aumentar o potencial de diversificação do seu portfólio.

Portanto, se você quer aprender o que é um fundo de investimento e como ele funciona, continue a leitura deste artigo até o final.

Aproveite!

O que é um fundo de investimento?

O fundo de investimento é conhecido como um veículo de investimento coletivo. Ou seja, ele é uma forma de participar de um grupo de investidores que possuem interesses semelhantes. Logo, essa alternativa é formada pelo capital de múltiplos investidores.

Já a alocação do patrimônio reunido é de responsabilidade de um gestor com certificação profissional para atuar no mercado financeiro. Logo, essa pode ser uma forma de acessar alternativas que poderiam não ser acessíveis ao investir sozinho.

Quem tem o interesse de participar dos resultados e riscos de um fundo precisa adquirir cotas. Elas podem ser encontradas na bolsa de valores ou nas plataformas de corretoras e bancos de investimento — a depender do tipo de fundo.

Em geral, os resultados desse tipo de investimento podem ser obtidos com a valorização das cotas. No entanto, existem fundos que realizam o pagamento de dividendos, podendo atender a quem deseja obter uma renda passiva.

Ainda, é importante destacar que, ao se tornar cotista, você assume o compromisso de pagar a taxa de administração — destinada à remuneração do gestor. Também pode ser necessário realizar o pagamento da taxa de performance.

Entretanto, a taxa de performance é cobrada apenas se os resultados apresentados pelo gestor superarem um benchmark predeterminado. Por esse motivo, a taxa costuma ser um percentual sobre o valor que exceder o índice de referência usado.

Como funciona um fundo de investimento?

Depois de aprender o conceito de fundo de investimento, ainda é necessário entender como ele funciona. Na prática, o veículo financeiro pode ser formado como um condomínio aberto ou fechado.

Na primeira hipótese, a modalidade é criada e as cotas ficam disponíveis para emissão e resgate junto ao próprio fundo. Assim, é possível entrar e sair do fundo a qualquer momento, desde que sejam observadas as regras estipuladas em seu regulamento.

Já os fundos fechados são mais restritos quanto à entrada e saída de participantes. Isso ocorre porque as cotas só podem ser adquiridas em um período específico. Depois, o fundo é fechado para novas captações e não há a emissão de novas cotas — exceto em situações excepcionais. 

Os resgates também acontecem apenas nas datas específicas. Porém, se o fundo tiver as suas cotas negociadas na bolsa de valores, há algumas particularidades.

Nesse caso, ele faz um IPO (initial public offering), levantando o seu patrimônio por meio da negociação de cotas no mercado primário. Na sequência, o fundo é fechado, mas a negociação das cotas emitidas pode ocorrer no mercado secundário, entre os investidores.

Logo, é possível comprar e vender cotas a qualquer momento, desde que haja liquidez. Isso significa que será preciso ter interessados na negociação para que você consiga adquirir ou desfazer de suas cotas.

1. Estrutura e Gestão dos Fundos Os fundos de investimento são estruturados como condomínios financeiros, onde cada participante possui cotas proporcionais ao seu investimento. A gestão do patrimônio coletado fica a cargo de um gestor profissional, que toma decisões de investimento baseadas em uma estratégia definida e no perfil do fundo.

2. Diversificação de Ativos Uma vantagem significativa dos fundos de investimento é a diversificação. Os gestores podem alocar recursos em diferentes classes de ativos, como ações, renda fixa, moedas estrangeiras e imóveis, dependendo do tipo de fundo. Essa diversificação é benéfica para mitigar riscos, principalmente para investidores com patrimônios maiores.

3. Funcionamento dos Fundos Abertos e Fechados Existem diferenças importantes entre fundos abertos e fechados. Os fundos abertos permitem a entrada e saída contínua de cotistas, enquanto os fundos fechados têm prazos determinados para captação de recursos e resgates, muitas vezes sendo negociados em bolsa após um IPO.

4. Taxas e Compromissos Investir em fundos envolve certos compromissos financeiros, como a taxa de administração e, em alguns casos, a taxa de performance. Estas taxas são essenciais para remunerar a expertise e o trabalho do gestor, sendo a taxa de performance condicionada ao desempenho do fundo.

5. Escolha Estratégica do Fundo A seleção de um fundo adequado demanda uma análise do perfil de risco do investidor, dos objetivos financeiros e da estratégia do fundo. Para clientes da Meu Patrimônio, a escolha deve considerar a busca por rendimentos consistentes com um nível de risco controlado, alinhado à sua situação financeira e metas de longo prazo.

Quais são os principais tipos de fundos de investimentos do mercado?

Sabendo agora como é o funcionamento de um fundo de investimento, você pode ter interesse em conhecer os principais tipos disponíveis no mercado. Veja só:

  • fundos de renda fixa: foca em aplicações dessa classe, como títulos do Tesouro, certificados de depósito bancário (CDBs), debêntures, etc.;
  • fundos de ações: tem o propósito de investir em ativos relacionados a empresas de capital aberto, a exemplo das ações, opções, bônus de subscrição, cotas de outros fundos de ações e outros ativos;
  • fundos cambiais: investem em alternativas voltadas ao câmbio. É o caso de moedas estrangeiras, swaps cambiais, etc.;
  • fundos multimercado: essa é uma das modalidades com mais liberdade de escolha, podendo investir em variadas alternativas sem um foco específico, desde que observe o regulamento;
  • fundos imobiliários (FIIs): o gestor deve priorizar a aquisição de imóveis, títulos imobiliários ou cotas de outros FIIs para compartilhar os lucros obtidos com aluguéis, vendas ou rendimentos, a depender do tipo de FII;
  • fundos de índice (ETF): buscam replicar o desempenho de um índice de mercado ao espelhar a sua carteira teórica.

Como escolher um fundo de investimento?

Ao chegar até aqui, você já viu quais são os principais tipos de fundo de investimento, mas como escolher entre eles? A resposta pode variar para cada interessado, pois dependerá da análise do seu perfil de investidor e objetivos financeiros.

Como você viu, cada fundo possui um foco e, dependendo das estratégias usadas pelo gestor, os riscos podem ser maiores ou menores. Então você precisará avaliar se o nível de risco oferecido pelo fundo de interesse é compatível com o seu perfil.

Também vale traçar os objetivos que você pretende alcançar, pois isso permite selecionar o fundo mais adequado para atingi-los. Por exemplo, se o seu interesse for construir uma reserva de emergência, é válido considerar o investimento em fundos de renda fixa voltados a essa meta, como os fundos DI.

Por outro lado, quem deseja obter renda passiva por meio do recebimento de dividendos pode se interessar pelos fundos imobiliários. Já quem tem o interesse de aproveitar o fator tempo para ampliar o grau de maturação do investimento encontra diversos fundos de longo prazo disponíveis. 

Ademais, você pode encontrar fundos variados do mesmo segmento, mas que entregam resultados diferentes. Portanto, vale consultar a lâmina de cada veículo financeiro que tenha despertado seu interesse em fazer comparações.

Esse é um documento que reúne as principais informações sobre o fundo. Entre os dados apresentados, estão:

  • foco de investimento;
  • estratégias usadas;
  • composição da carteira;
  • taxas cobradas;
  • entre outros aspectos.

Assim, você poderá montar uma carteira com uma ou mais opções de fundos, conforme as suas necessidades e estratégia de alocação.

Conclusão

Agora você sabe o que é e como funciona um fundo de investimento. Caso você tenha se interessado pela alternativa, não se esqueça de fazer as escolhas com base no seu perfil e objetivos e, se preciso, busque por auxílio profissional para esclarecer as suas dúvidas.

Você não tem tempo para estudos e decisões de investimentos? Entre em contato com a Meu Patrimônio e conte com o suporte de uma consultoria de investimentos!

COMPARTILHE:
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Cadastro foi registrado com sucesso!

Nossa equipe logo entrará em contato. 

Enquanto isso acessa nossa rede social, lá você pode conhecer um pouco mais sobre nossa empresa!